Cinco novas funções na arquitetura criadas pela tecnologia

O avanço das tecnologias e a proliferação de novas soluções técnicas resultam na constante mudança dos perfis profissionais na área de arquitetura

O estudo “O Futuro do Trabalho”, realizado por Carl Frey e Michael Osborne, da Universidade de Oxford, traz um ranking de trabalhos na área de arquitetura criados pela informatização.

Segundo a pesquisa, funções como projetista de maquete, técnico, desenhista e planejador urbano correm um risco muito maior de desaparecer em comparação com arquitetos, designer de interiores e engenheiros civis.

Já o Royal Institute of British Architects publicou um relatório que examina qual será o papel dos arquitetos em 2025, por meio de uma série de entrevistas e sessões de mesa-redonda com profissionais, consultores e empreiteiros. Entre as opiniões estão: “a profissão está caminhando para consultoria” e “escritórios de tamanho médio (25 a 150 pessoas) terão desaparecido até 2025”.

Enquanto isso, a imensa influência da tecnologia sobre a arquitetura tem criado novas ocupações e revelado a crescente complexidade do mercado de trabalho, como mostra a lista criada pelo site Archipreneur.

1. Especialista em BIM

O especialista em BIM (Building Information Modeling – Modelagem de Informação da Construção) pode se relacionar com diferentes áreas do conhecimento, desde modelagem, consultoria e desenvolvimento de aplicativos e software até cargos de pesquisa e gestão. Os requisitos gerais para a posição geralmente são certificação para software específico e experiência no planejamento e acompanhamento de projetos.

2. Tecnólogo em projeção digital

O projetista de maquete têm sido substituído pelo tecnólogo em projeção digital, profissional capa de lidar com um conjunto de tarefas complexas relacionadas à prototipagem rápida dentro dos escritórios. Desde que as impressoras 3D começaram a ser adotadas como uma ferramenta de design, a demanda por pessoas qualificadas em lidar com os aspectos técnicos e criativos da fabricação digital tem aumentado significativamente. Habilidades de gerenciamento e capacidade de lidar com sistemas de infraestrutura são altamente valorizados quando se considera potenciais candidatos.

3. Gerente de mídias sociais

A maioria dos escritórios já contam com as mídias sociais para a comunicação de suas ideias e marcas, além de integrar o feedback do usuário a projetos futuros. Escolher as melhores plataformas, formar comunidades e manusear várias contas de mídia social são as principais responsabilidades dos potenciais gerentes de mídias sociais.

4. Profissional de visualização arquitetônica 3D

Atualmente, a visualização arquitetônica tem permitido a criação de renderizações que, muitas vezes, são confundidas com fotografias devido à proximidade com a realidade. Ela pode ser parte do processo do projeto em si, mas é mais usada para representar projetos acabados. Os visualizadores arquitetônicos são artistas 3D especializados em modelagem, iluminação, renderização ou pós-produção, o que requer amplo conhecimento em software específico. Não é necessário ser formado em arquitetura, mas normalmente os empregos exigem conhecimento arquitetônico.

5. Designer gráfico de animação

Embora renderizações fotorrealistas tenham se tornado um padrão da indústria, um crescente número de escritórios de arquitetura e incorporadoras também têm utilizado animação e vídeos promocionais para alcançar seu público-alvo. Esses filmes geralmente proporcionam experiências imersivas nos espaços e intervenções urbanas.

Qual sua opinião? Que outras posições vão surgir nas próximas décadas?

arq_72142

Publicada originalmente em ARCOweb em 14 de Setembro de 2015

Fonte: Arcoweb

terraced-house-1026382_640

Siga-nos e curta nossa página